quinta-feira, 12 de agosto de 2010

TELEFONEMA EM PLENA MADRUGADA



Em plenos dias agitados, nos quais não tenho muito tempo para respirar, em que rezo para chegar à noite e finalmente adormecer com ela.

Sempre tem alguém me ligando, amigo querendo saber como estou.

Isso faz parte da amizade!

No meio da semana, após o dia um pouco mais intranqüilo do que o normal, caio exausta na cama.

Embora o cansaço não me deixe dormir direito, primeiro tenho que descansar o corpo para a mente se tranqüilizar e então adormecer.

Em plena madrugada, já havia passado por este ritual, quando a não sei que horas o celular tocou.

Indaguei-me:
- Quem poderia ser? Talvez uma emergência, quem sabe?

Ao atender, uma voz masculina a qual não reconheci logo de imediato e também não poderia reconhecer.

A voz do outro lado da linha, perguntava por uma mulher chamada Ju e logo identifiquei o engano.
Porém, o rapaz não conformado, insistiu na idéia de saber quem realmente estava falando, e que eu poderia ser a Ju, repetindo o telefone que estava indicado em um anúncio de jornal do dia anterior, desejando alguém para lhe fazer companhia.

Percebi que havia um número errado, que não batia com o meu.

Ao ler o anúncio da Ju, achou interessante e resolveu entrar em contato.

Acho que devido a sua ansiedade, teclou o número errado caindo assim no número do meu aparelho.

Querendo entender o que estava se passando, continuei...

Acho que me achariam louca, em plena madrugada conversando com um sujeito sem ao menos conhecer.

O fato de ter a possibilidade do meu número celular estampado em um anúncio de jornal me intrigava bastante!

Nessa altura do campeonato, havia perdido o sono e continuamos a nossa conversa: ele sentado à mesa de um bar com o garçom quase o expulsando do local e eu em minha caminha quentinha, embora fizesse um pouco de frio em plena cidade do Rio de Janeiro.

Depois de muito conversarmos, ele me falou o seu nome, que aqui o chamarei de Guilherme.

Pois é, Guilherme me ligou desejando encontrar a Ju, possivelmente uma Garota de Programa, a qual não a julgo de nenhuma maneira...

E quem somos nós, para fazermos tal coisa?

...Para possuir umas horas relaxantes de sexo gostoso!

Mas o que Guilherme não poderia imaginar que não deixo de ser uma, mas de uma maneira diferente!

Outro dia, tecendo com uma amiga que mora em outro estado, ela me perguntou se eu seria uma Garota de Programa.

Minha resposta foi firme: - Não sou!

Realmente em me julgo uma Garota de Programa: A Mulher decidida que faz das palavras quentes, de textos com um alto teor de sexo explícito a sua realização sem medo de ser feliz e de não querer provar nada a ninguém.

Apenas com o desejo na alma de ser feliz e me realizar com alguém especial em um momento mais íntimo!

Após um longo papo, de quase meia-hora, despedi-me de Guilherme, pedindo que ele teclasse o número da Ju com mais atenção, só assim poderia falar com ela.

Ele respondeu dizendo que talvez não ligasse e sim retornaria a ligação para nos falarmos outra hora.

Depois falam que os homens não são volúveis!

Quando vi a hora com mais calma, já eram quase duas horas e meia da manhã...

Durante o restante da noite e também de dia, o celular não tocou, dando a compreender que Guilherme realmente tinha teclado o número errado.

Espero que esta noite, eu possa ter um sono tranqüilo e ninguém achar que eu tenho uma voz de sexi-phone!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

DESJEJUM (GOZANGO AO AMANHECER)



Os últimos dias têm sido muito tensos e com muitas coisas a serem resolvidas.

Logo cedo quando voltava da padaria, encontrei o meu cafajeste, que depois de umas palavras me convidou para ir a sua casa.

Não poderia recusar... E seguimos lado a lado o mesmo caminho.

Sem muita conversa, foi me abraçando e beijando o meu rosto, totalmente pervertido!

Minhas mãos deslizando por seu sexo, arrancando-o da bermuda, uma sensação de poder dominando o meu corpo.

Suas mãos também não deixaram a desejar, invadindo a minha buceta, deixando-me molhadinha.

Fui de encontro à parede com ele me despindo, revelando o meu bumbum branco, empinando-me para recebê-lo onde quisesse entrar.

De costas para ele, tocava em minha buceta... Uma delícia de toque, realmente estava precisando mais do que relaxar e soltei ainda mais com ele, como nunca fizera antes.

De uma só vez, invadiu a minha racha que pedia por sua ferramenta, que entrava e saia feito bate-estaca.
Mesmo em pé, com as mãos apoiadas no alto da parede, iam deslizando deixando meu bumbum empinado em sua direção. Em uma linda pose erótica, sentindo-me a própria atriz pornô.

É assim que me vejo, quando estou com um homem, pelo qual sinto tesão!

No embalo de minha performance, fui rebolando bem devagar, como se quisesse prolongar os segundos, com os dedos dele tocando em minha buceta.

Em um gemido abafado, quase uníssono gozei, derramando o meu néctar em sua mão. E trocamos olhares...

Sua maneira mais carinhosa de me chamar quando estamos a sós e nesses momentos é de puta... Sei que sou...

Em sua ansiedade por gozar também... Socou com mais força em minha buceta, fazendo-me rebolar com mais vontade em sua pica!

E para terminar o seu ato, gozou... Derramando o seu leite quente em meu corpo, dando-me um banho com sua porra quente.

Com o friozinho da manhã, nada melhor para esquentar o clima em plena cidade maravilhosa.

PRESENTE DE ANIVERSÁRIO



Não sei o que acontece...

Ele sabe exatamente como exercer o seu poder de persuasão sobre o meu corpo.

Quando cheguei onde se encontrava... Fingi não perceber qual era a sua verdadeira intenção.

Em palavras desencontradas, fazendo-me de dissimulada fui entrando em seu joguinho erótico.

No dia anterior, tinha sido o seu aniversário, lembrei, mas não fiz questão nenhuma de ligar.

O parabenizei de um jeito formal...

Puxando-me pelo braço, disse-me que desejava um parabéns diferente e acariciando todo o meu corpo e roçando o dele ao meu, demonstrando todo o seu tesão.

Sentei-me na cadeira e deslizando minha mão em seu membro teso, iniciei um delicioso boquete sem nenhuma pressa.

Ao olhá-lo, percebia seus movimentos faciais, mordia os lábios me chamando de puta.

Não me importo, pois acho uma maneira carinhosa de ser chamada em momentos íntimos.

Conforme eu o abocanhava, deslizava minha mão em toda a extensão de seu cacete e massageava com o polegar.

Meu cafajeste ia ao devaneio com cada gesto que fazia sobre o seu membro em riste.

Após longos minutos dessa maneira, o seu gozo veio inevitável, derramando entre meus lábios, brindando mais um ano de puro tesão!

Ao me levantar, dei-lhe um beijo no rosto selando a nossa comemoração.

Além de cafajeste é muito cachorro... E adora as nossas putarias!

sábado, 7 de agosto de 2010

AO MENOS UMA VEZ...


Ao menos uma vez...
Ouça o que tenho a lhe dizer.
Sou dessa maneira que te apresento:
Em minhas mãos nada de lenço apenas documento!
Enxergue em meu olhar a minha doce essência:
Uma sedutora sem o mínimo de paciência.
Com a libido percorrendo quente pelas veias,
Feito uma domme voraz,
Desejando-te preso em minhas teias.
Na fúria serei a tua ensandecida algoz...

Satisfaça todas as minhas vontades,
Apenas isso é o que desejo.
Ao menos uma vez,
Isso pode ser um novo recomeço.
Desate os nós da hipocrisia,
Seja meu com primícias.
Arde em meus lampejos,
Preso a cordas, encostado nas paredes.
Ardendo em chamas como o aço...
Sejas meu outra vez...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

VAGANDO EM ÊXTASE



PERCO-ME EM MINHA ALMA...

PARA ME ENCONTRAR NO CORPO DE ALGUÉM!