sexta-feira, 8 de outubro de 2010

INVADINDO-ME TODINHA



É sempre assim a putaria rolando solta entre nós dois.

A conversa no MSN aumenta mais a minha libido por ele, ao ver o seu cacete exposto em imagens perturbadoras, deixando as minhas carnes tremulas.

- Olá! Não vai falar comigo não, seu cachorro? – perguntei a ele sabendo mais ou menos como seria a sua resposta.

- Claro minha putinha branca... – ele respondeu bem a altura de nossas safadezas.

- Quero fuder com você! – disse a ele.

- Não tem traído não o seu maridinho? – quis sabe ele.

- Até tentei... Mas homem foda como você são poucos... – respondi.

- isso eu já sabia! – disse como se fosse um pavão.

- E até nós mulheres descobrirmos fica complicado. – continuei.

Amo esse jeito moleque dele, meio inconseqüente. Isso bate de frente com minha realidade, e estar com ele é uma fuga para tudo isso.

Ah... Se ele estivesse aqui, ao meu lado para suprir minhas fantasias quando desejasse.

Só de imaginá-lo minha buceta fica molhadinha... Meu cuzinho começa a piscar desejando a sua rola enorme, invadindo-me todinha.

Estremeço quando a sua cabeça grande e vermelha adentra em meu anel.

Lembro a primeira noite, quando tentou a primeira vez... A segunda...

Tinha até desistido com receio de me machucar.

Porém, o instiguei para que o fizesse...

Quando estávamos de ladinho descansando, depois de mais uma foda deliciosa, em que me deixou de pernas bambas de tanto gozar, comecei a rebolar roçando meu bumbum em seu cacete.

-Ai que rola deliciosa!

Sentia-o meu bumbum como se o lesse em braile.

Aos poucos sua pica foi endurecendo... Endurecendo... Endurecendo...

Até que ficasse em ponto de ferro, mais do que dura.

- Vem! Arromba o meu anelzinho rosado com o seu tronco negro... – pedi baixinho o sentindo em meu rebolado.

Eu que sou super branca e ele um negão gostoso, fico logo vermelhinha.

Ele notou que eu ansiava para ser possuída... Necessitava mais do que tudo em ter o meu cuzinho fodido por ele.

Então o peguei e o direcionei até a entradinha.

- Não seria fácil, devido ao tamanho de sua tora. Mas a minha fissura era tanta, que seria tranqüilo.

Nesse momento, o meu macho passou a dominar a situação...

Seu cacete começava a me invadir...

Confesso senti uma dor um tanto desconfortável... Mas sabia que logo cessaria, pois o melhor estaria por acontecer e assim ocorreu.

Ele adentrava e saia... Até que meu cuzinho se acostumou com sua enorme cabeça.

Tremia igual à vara verde, mas não de dor... E sim pelo entusiasmo do meu feito.

Suas estocadas foram se tornando mais rápidas...

Meu frisson era tamanho, que poderia ficar por longuíssimos minutos daquela maneira.

Ao pé do meu ouvido, ele me chamou de guerreira, pois nem toda mulher agüenta o seu cacete na buceta e muito menos atolado em seu cuzinho.

Em nosso primeiro anal, não gozamos...

Entretanto, ter aquele enorme cacete invadindo o meu cuzinho, a sensação do poder era tremenda.

Depois gozamos com outras posições.

Essa só foi à primeira vez em que ele se refestelou com o meu rabinho e sei que acontecerão outras vezes mais.

Pois temos um grau de lascívia e tesão ao mesmo nível.

E quando esses encontros acontecem é explosivo na certa.

- Então venha logo... Invadindo-me todinha mais outra vez!

4 comentários:

ACM disse...

Oi Fabby.
Obrigado por passar lá no blog e comentar.
Saudades de você!
Escreves cada coisa aqui que é foda resistir...PQP!
Haja tesão! Em mim, claro...
Beijo
ACM

riskcontact disse...

q farturaa de tudo...

menina fê disse...

não há como resistir.
é muito bom mesmo!!!


bjs meus

Max, o Sedutor. disse...

Uauuu!!!mais que metida boa foi essa...a posição é maravilhosaaa!!!amo meter de 4 tb...belo post!!!beijos meus!!