quinta-feira, 5 de maio de 2016

Tesão que transcende na alma



Não sei mais o que fazer com esta louca ânsia de você...
A excitação se esvaindo por meus poros...
O sexo fazendo-se quente e molhado.
Na expectativa de qualquer instante você chegar.
Os meus olhos fechados...
Uma viagem ao tempo realizo...
Até nos encontrarmos naqueles momentos em que nossos corpos se fundiam em igual movimento e desejo.
Aonde a loucura era toda a razão para existir.
É inevitável não sentir os meus seios ficando túrgidos...
É incontrolável a vontade de possuí-lo inúmeras vezes dentro de mim.
As pernas eu afasto...
É intenso o calor...
Os meus dedos chupo...
Neles tentando obter o sabor de tua derme.
As mãos percorrendo por meu corpo na pouca intensidade da luz, arrepiando-se!
Na boceta toco...
O lugar que você deveria estar para então, apreciar o contraste de nossas peles, misturando os tons de café com leite.
Com a ilusão prossigo...
Os dedos mergulho no sexo inchado pela volúpia que anestesia o barulho que vem do lado de fora.
Quem foi que disse que não estás comigo?
As mãos deslizam...
Tapas na boceta que reclama por teu cacete grande, roliço e teso!
Com agilidade a esfrego...
Você está aqui comigo, de uma maneira ou de outra.
A mão se molha...
O dedo indicador me invade...
Enquanto o mindinho procura e alcança o anel que lateja por um pouco de atenção.
Tenho os meus buracos fustigados...
A lascívia latejando em meus lábios vaginais e paredes anais.
Quantos são os caminhos que a lascívia pode percorrer?
Eu respondo:
- Muitos!
Que por ora alimentam e saciam a carne.
A cada movimento, o meu prazer vai se intensificando com a tua figura gravada em minha essência a ferro e a fogo.
Entrego-me sem reservas aos meus devaneios.
Na miscelânea de sensações e reações em meu corpo e em minha alma.
Até que o frêmito do gozo transcende em meu íntimo e, faz-me sussurrar várias vezes o seu nome...
A respiração ofegante...
Os batimentos cardíacos acelerados...
Mais uma vez minhas mãos percorrem o meu corpo...
Em meu rosto passo...
O cheiro de fêmea no cio me embriaga...
E ao olhar ao meu redor, percebo que foi apenas um delírio...
Você não está aqui comigo, a não ser a tua aura de macho que persegue os meus sentidos.
Quem sabe um dia,
O meu...
O nosso desejo...

Não se tornará realidade?

2 comentários:

CLOVIS MARTINS disse...

Putz...era tudo que eu queria... ser teu objeto e vc ser minha...derreter-mo-nos um no outro indefinidamente...AI!

CLOVIS MARTINS disse...

Eu quero...esse grelo lindo...