terça-feira, 19 de agosto de 2014

Tesão feminino




Um dia, quando me encontrava em casa, senti algo me incomodar na vagina...

Uma quentura... Inchaço...

Aquilo não era normal de se sentir...

Até para caminhar me incomodava!

***

Neste mesmo dia, uma amiga veio me visitar...

E, ela me conhecendo, perguntou o que tanto me afligia e, pus-me a desatar os nós de minha ladainha.

Como trajava apenas um vestido soltinho, deitei em minha cama com as pernas escancaradas para então me examinar.

Com ela me olhando, apalpando a área então reclamada... Tocando-me... Os meus seios foram se intusmecendo... A buceta ficando molhada.

- Não tem nada demais aqui! - Falou ela. - A não ser um inchaço... Nada que uma boa compressa gelada não resolva. - Completou.

- Verdade? - Perguntei.

- A quanto tempo não dá para o teu macho? - Quis saber ela.

- Uma semana! O tempo que ele está viajando à trabalho. - Respondi.

- Então, está explicado... - Complementou ela percebendo a minha excitação, cravando com força os dedos em minha buceta úmida.

A respiração que controlava ficou ofegante a medida que ela me bolinava.

Sabia que esta minha amiga tinha os casos dela, mas que não transava com mulheres.

Estava tão desejosa por um toque... Que deixei me levar por suas intenções.

Tão prontamente percebendo que me entregava, ela colocou mais ênfase em seus movimentos.

Ao abrir os seus dedos em uma espécie de tesoura dentro de minha buceta e ficava girando o punho.

Os meus gemidos denunciavam o meu prazer... E aos poucos fui me livrando da roupa.

O seu corpo colou ao meu, preenchendo a boca com a língua tesa... Roçando os seios aos meus.

- Deixa-me cuidar de você! - Falou ela exercendo mais força de encontro ao meu sexo úmido.

O seu toque foi tão intenso que gozei molhando os seus dedos com o meu líquido...

A língua que antes fazia movimentos circulares em minha boca superior foi parar entre meus lábios vaginais, sugando todo o resquício que ele continha e tornando rígido o meu clítoris, deixando-me novamente molhada pelo tesão.

As minhas mãos começaram a percorrer os cabelos de minha amiga...

Assim ela compreendeu que desejava lhe retribuir as carícias e, ao se levantar a despi para que pudesse ter uma visão total de seu corpo.

A sua pele morena... Os seios de tamanho normais, agora tesos pelo meu toque.
Sobre a cama formamos um sessenta e nove...

A sua língua percorria meus territórios e a ponta de seus dedos o meu pequeno orifício que se oferecia prontamente.

Os mesmos movimentos repetia com ela, e num rítmo desenfreado um dueto de gemidos...

Em devaneios.... Na luminescência da libido.

Os nossos corpos seguiram a direção do tesão e não havia nada que nos fizesse retornar.

Em um momento me perguntou se eu possuía algum brinquedo erótico.

Rapidamente levantei e retirei do fundo da gaveta de calcinhas um consolo que de vez em quando o meu macho usava em mim.

A amiga pediu para que me colocasse de quatro e com o consolo em mãos, introduziu-o em minha buceta, arrancando de mim mais gemidos, fazendo com que dançasse em minhas entranhas e com o dedo em meu cu...

Esta minha amiga já tinha conhecimento por minha predileção anal e também intercalava com a língua, enfiando-a em meu cu e lambendo os meu clítoris... Até o momento em que introduziu o consolo em meu rabo!

Com a cabeça posicionada embaixo de meu corpo, ela continuava a introduzir o falso cacete em meu cu e a lamber o meu clítoris... O que me fazia rebolar descompassada ao sabor de suas carícias.

Os seus movimentos eram calmos, porém, precisos e dessa maneira me fez gozar outra vez.

Após os meus espasmos cessarem, foi a vez dela de receber as minhas carícias íntimas.

Na cama deitada, ela quase se sentando sobre o meu rosto, encaixei a língua em sua buceta, enquanto enfiava dois dedos em seu cu....

Ouvia os seus gemidos... Os seus sussurros femininos...

Jamais passou pela minha cabeça que, pudesse desfrutar de momentos tão libidinosos e prazerosos com outra mulher.

Os seus movimentos criavam uma nuance diferente em meu quarto, o cheiro de sexo entre duas mulheres inebriando a ambiência...

Ela se doava totalmente a mim fincada em sua buceta, até que não segurando mais, rendeu-se a um gozo intenso e frenético.

Após ela ter gozado, deitando-se... Encostei em seu corpo e fiquei esfregando o meu sexo no seu para que pudesse sentir a quentura do mesmo.

A partir daquele dia, a nossa amizade ficou mais fortalecida com um novo elo.
Esse é um segredo só nosso.

Ainda não compartilhado com o meu marido...

Esperando o momento mais oportuno de se dá!






7 comentários:

pedro manela disse...

Magnífico!!!

Dante Gavazzoni disse...

É uma e e excitante cena!! Parabéns!! Gostei.

Fabby Lima disse...

Obrigada pedro por sua visita e seu comentário!
Bjs

Fabby Lima disse...

Bom dia Dante
Não sabe como é importante cada comentário aqui... Agradeço o carinho. bjs

Fabby Lima disse...

Bom dia Dante
Não sabe como é importante cada comentário aqui... Agradeço o carinho. bjs

Carlinhos Paiva disse...

Boa noite gostosa safada e deliciosa Fabby...que delicioso teu conto meu amor! É delicioso sentir o kct ir inchando latejando com o desenrolar do conto. Adoro ver duas mulheres se roçando se chupando e metendo buceta com buceta...que punheta gostosa bato. Melhor mesmo é participar da brincadeira mmetendo nas duas...ssssssssssssssssssssssss rs

DELICIA...

http://1.bp.blogspot.com/-uD7DoCZWLh4/TW1tVt-PW6I/AAAAAAAABgY/9p1UwGQrQOw/s151/decote.jpg

http://31.media.tumblr.com/5d3eb9613c658274a977af5bdd12dc5a/tumblr_nedn4b72gC1tatbbfo1_400.gif

Carlinhos Paiva disse...

Fabby, seleciona os links e abre-os...vc vai ficar doidinha!Delicie-se!! rs