quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

A ESPOSA INFIEL E O AMIGO CHANTAGISTA - 3ª PARTE



Naquela manhã, Jussara chegou mais silenciosa do que de costume pensando no que vivera durante a noite.

Antes trair o marido era fácil, não tinha remorso, pois fazia com homens que ele nem sonhara em conhecer. Porém, agora era diferente.

Vicente além de ser seu vizinho, também colega de trabalho dele.

A rotina do casal basicamente não foi afetada. Quando Carlos queria manter relações com a esposa, ele a procurava. Isso era fato raro.

No entanto, se ele tivesse outra pessoa fora do casamento, Jussara não se importava e não queria saber. Não havia nenhuma condição de julgamento, seu desejo agora era ter Vicente colado ao seu corpo.

Vicente astuto como ele era, o que fez?

Ele simplesmente evitara Jussara, nas raras vezes que se encontravam pela rua do bairro. E quando Carlos o convidava para ir a sua casa, lhe contava alguma desculpa esfarrapada.

Isso fazia com que Jussara se definhasse por dentro. Até suas idas para a casa da mãe não eram mais assíduas. E quando dizia que ia pernoitar por lá, Jussara não mais mentira.

Essa situação se arrastou por quase longos dois meses. E Jussara se surpreendeu, pensando que Vicente tivesse desistido de sua chantagem.

À tarde sozinha em casa, o telefone toca.

- Alô... – disse ele.

- Pois não. – respondeu ela.

- Esteja pronta hoje à noite. E leve na bolsa um vestidinho bem sexy. – ordenou Vicente reconhecendo a sua voz e sem ao menos Jussara responder algo ele desligou.

- O que estaria planejando? Seria mais um encontro entre os três? Alberto, Vicente e ela? – ficou perguntando a si mesma.

Logo em seguida, ligou para o marido dizendo sobre a ida para a casa de sua mãe. Ele concordou prontamente.

No mesmo esquema, Alberto foi buscá-la e passando em outro lugar se encontraram com Vicente.

Não existiu uma boa noite.

- Trouxe o que lhe pedi. – quis saber Vicente.

- sim! – respondeu ela.

- Então se troque. - Disse ele.

- Mas aqui? – indagou.

- Não se faça de recatada. Já vimos tudo o que tem aí debaixo dessas roupas. – disse Alberto.

Dali a alguns minutos, Jussara ficou da maneira que eles desejavam.

E ficaram rodando pelas ruas do Centro da cidade para que passasse a hora e chegarem até onde queriam.

O vidro do carro era claro, e para acrescentar algo a mais, Vicente lhe sugeriu algo:

- Jussara, que tal um showzinho para nós e os demais que estão nesse trânsito chato?

Ela não entendeu nada, e quando Alberto tirou do porta-luvas uma máscara.

- Coloque isso! – disse ele.

Sabendo que não teria outras opções, Jussara atendeu ao pedido.

- Isso! Continue sendo uma boa menina! – falou Vicente.

Jussara se sentiu incomodada...

- O que eles pretendiam? – a indagou.

Vicente desfez o laço que segurava a alça do vestido revelando o seio desnudo. O que fez por reflexo colocar a mão para cobri-lo.

- A intenção é para que fique à mostra. Agora preciso que se insinue para os motoristas que estão passando por você. - disse Vicente com um tom de voz mais calma como o de costume.

Jussara entendeu o que deseja e começou a se acariciar. Notório se fazia os olhares e as reações em sua direção.

Vicente estava no comando e lhe pediu mais ousadia, quando Alberto lhe puxou a outra alça do vestido.

Nesse momento, Jussara estava excitada... Sua calcinha completamente molhada. Nunca tivera com o marido a cumplicidade que Alberto e Vicente estavam tendo com ela, mesmo sendo à base de chantagem. O que estava acontecendo ali foi o que desejara fazer algum dia.

Rebolando sobre o banco ao lado de Vicente, levantou o vestido demonstrando toda a sua excitação. Porém, Vicente a observava...

Alberto fora mais ousado levantando um pouco o corpo e esticando a mão até a buceta dela, deu um leve apertão.

- Fique à vontade amigo, mas cuidado com o trânsito. – disse Vicente sempre coerente.

Os homens nos veículos ao lado ficaram loucos com a cena, assobiavam... Gritavam... Chamavam-na de gostosa.

Vicente observava tudo com atenção. Aqueles homens e algumas mulheres se manifestavam desejando estar ao lado de Jussara e poder usufruir de seu corpo.

Toda aquela situação deixou o tesão de todos aflorados e finalmente chegaram ao seu destino.

Ainda mascarada, os três entraram em uma casa de swing bastante conhecida na cidade e por fim Vicente lhe avisou que seu nome seria Wall, para não despertar a curiosidade de outras pessoas.

Tudo o que vivera ali estava sendo tão diferente.

-Será que Vicente se renderia a ela ali mesmo?

Os dois rapazes lhe mostraram como funcionava a casa. Alberto se mostrava sempre mais empolgado.

A frieza de Vicente com relação a ela era impar.

Uma mulher se aproximou do trio mostrando grande entrosamento com Vicente. Isso fez com que Jussara sentisse ciúmes.

Ciúme: uma palavra que não se encaixa em uma casa de swing. Isso soava bem contraditório aos seus ouvidos.

Jennifer seria este o seu nome. Depois de conversarem um pouco afastados, eles tornaram a se aproximar e sua atenção agora era voltada quase que exclusivamente para Jussara, ou seja, Wall.























Os dois rapazes se serviram de bebidas, enquanto as duas mulheres conversavam.

Jennifer levou Wall para outro lugar e ali se deu início a carícias.

Um pouco tímida Wall foi cedendo, já que se encontrava nas mãos de Vicente.

Jussara reviveu as cenas de que quando estavam no carro e entre as carícias que Jennifer, notou o olhar atento de Vicente.




O jogo dele era esse, já que seria a esposa infiel, ele desejava a ver traindo o marido.

Com o tempo, Jussara foi se soltando e se envolvendo mais no sexo de Jennifer.

Depois ela notara que Alberto estava metendo no cu de uma mulher, enquanto outro homem preenchia a sua buceta.

E Vicente? Onde estaria, já que não estava mais aonde se encontrava?

Quando olhou para o lado esquerdo e o viu com outra mulher.

Depois de transarem por algum tempo ele se aproximou e ficou observando com a outra os movimentos sinuosos de wall e Jennifer.

Jussara recebeu toda a atenção de Jennifer, rebolando e gozando com mãos macias deslizando em seu corpo.

Assim, Jussara foi introduzida ao mundo fascinante e instigante da casa de swing.






Porém, o que mais Vicente a revelaria com o doce sabor da chantagem?

Ao retornarem já com o dia amanhecendo...

- Você aprende rápido. – disse Alberto.

- Pois é... A esposa infiel... Mas precisa aprender mais coisas para chegar ao ponto que desejo. – Comentou Vicente.

- Nada melhor do que fazer um marido corno. Qual é o nome dele mesmo? – quis saber Alberto.

- Responda você, cachorra! – ordenou Vicente.

- Carlos... – respondeu ela em tom baixo.

No trajeto de volta, Jussara novamente trocou a roupa. E os dois a deixaram em um local um pouco afastada de casa.

Jussara sentira que não terminara por ali...

- O que mais poderia acontecer? – perguntou a si mesma.















2 comentários:

Ventas.. disse...

Que calor.... :)

Piment29 disse...

Huuumm ... Um sexo assim quem não deseja ?? Bjus