terça-feira, 13 de outubro de 2009

Sedução na noite


A noite está esplendorosa, estrelas no céu a cintilar.
Posso vê-lo ao longe, caminhando sozinho.
Em passos largos a divagar!
E eu te seguindo, em ruas escuras sendo o meu solzinho.
Por mulheres da noite, tu passas,
Mas senta-se distante... Em um banco escuro da praça.

Ansiosa, aproximo-me... Minha respiração está ofegante,
Erguendo-se, se depara comigo a sua frente.
Querendo saber, o que estou fazendo ali... Tão tarde.
Digo que apenas ser feliz e para não fazer tanto alarde!

Rendemos-nos aos encantos a nós oferecidos,
Pelo andar da carruagem, sendo favorecidos.
Com você... O que tenho direito quero tudo,
Ser ao menos uma parte do seu mundo!

Sem questionar, aceita a minha sugestão,
Toma-me em seus braços e recebo em meu pescoço um chupão.
Ansiedade demonstrada pelos movimentos das mãos,
Os corpos enchendo de volúpia, fúria e tesão!

Com ferocidade, soltas meu vestido, deixando-me nua,
Sem se importar que estamos em plena rua.
Sugando os meus seios, ataca feito um lobo faminto,
Correr contra o perigo é gostoso e não minto!

Deslizas pelo meu corpo, a minha vulva sorve,
Do teu cacete teso, ficas louco que eu prove!
Coloca-me na sua frente ajoelhada,
Toda aberta e totalmente depravada!

Liberto e engulo todo o seu cacete em riste,
Toco uma siririca, para minha buceta não ficar triste!
Com teu membro a babar em minha boca,
Chupo o meu mel misturado ao seu... Fico louca!

Ponho-me de quatro sobre o banco,
Sou agarrada em minhas ancas.
Teu falo encaixa em minha gruta.
Que pelos meus dedos está aberta!

Soca-me em tua vontade, com cadência e maestria,
A noite escura, iluminada... Tornando-se dia.
Nossos barulhos, acabando com a nostalgia,
Desejos na pele que ao toque arrepia.

Do teu corpo tenho o prazer e o afeto,
Com delicadeza, mete-se em meu reto!
Em minhas carnes te absorvo,
Querendo sempre mais e de novo!

Sentamos-nos, de forma que não te solto,
Por mim, estás aprisionado... Todo envolto.
Cavalgo ensandecida pelo espaço do teu ser,
Entrega-se ao êxtase... O que tinha que acontecer!

É demais... Querer o teu sexo anal,
Possuir a tua vara em meu rabinho.
Prazeroso, do princípio até o final,
Lambuzar-me e come-lo todinho!

São horas que pela sedução da noite divagamos,
O calor, percorrendo o corpo... Suamos.
Deliramos em nossos gozos na alma a enternecer,
Inebriamos-nos na loucura a embevecer!

Sedução na noite...
Em corpos ardentes,
Sedução na noite...
Em desejos envolventes...

3 comentários:

ACM disse...

Estás danada heim?
Public disgrace...um fetiche e tanto, bem no meio da rua.
Conheço muita gente que é louca por isso.
Cada vez melhor teu blog, falei hoje na minha matéria, são contos e poemas que dá uma vontade de ser protagonista..e como!
Beijos

xxx_web disse...

Adorei mais este texto , muitos parabéns.

Mr.D disse...

;)