quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

BUMBUM EMPINADO


Gosta de me ver assim,
Com meu bumbum empinado.
Para meter a rola até o fim,
Com afinco todo retesado.

Tenho fome de teu sexo anal,
Delicioso... Há tempos não tinha igual.
Perfurando o meu orifício,
Vais alimentando o meu cio.

Quero que fodas o meu cu...
Deixe de lado... Jogue fora o tabu.
A buceta tocando, em pulsações,
As bolas batendo, em convulsões.

Levo-te no embalo do rebolado,
Vou sentindo ele todo socado.
Contra o meu corpo arremetendo,
O cuzinho o teu pepino comendo.

Gosto da tua pegada forte,
Da maneira como me bate.
Em doces insanidades,
Para os outros até maldade.

Sinto na pele a ardência,
O atrito de tuas mãos.
Que não pede clemência,
O ápice do nosso tesão.

Faça o que comigo desejares,
Estou em busca de novos ares.
Inovar as posições transitórias,
Torture-me sem alguma escapatória.

O que em palavras insanas,
Faz eclodir a desejada explosão.
O gozo da maneira profana,
Para o delírio de nossa realização.

Um comentário:

Amor...SEdução...Prazer disse...

Texto delicioso Fabby, deixo aqui meus sussurros, meus delírios....meu tudo
bjinhusss Anne