sábado, 26 de fevereiro de 2011

SER OU NÃO SER UMA PUTA? EIS A QUESTÃO...


Gosto desse meu estilo libertino... Possuir na alma o sabor do sexo.

Sexo sem limite... Desenfreado... Atordoado...

Aquele sexo que deixa marcas na pele como se tivesse sido torturada.

Muitos se assustam quando digo que gosto da dor...

Não gosto de fazer as pessoas sofrerem, mas gosto da dor sentida no momento da penetração anal, jogando o meu bumbum de encontro ao parceiro.

Amo ter em meu corpo esse tipo de dor!

Comprovando que a bonança sempre vem depois da tempestade.

E para alimentar esse meu lado lascivo, desejo cordas e correntes em meu corpo...

O sexo injetado em minhas veias vitais, para aumentar a adrenalina que o meu corpo possui quando ouço o som de um metal pesado.

Nada de frescuras e nem regalias...

Não preciso de cama... Necessito de posições criativas formando o desenho como os nossos corpos e por um momento contemplar o movimento de nossas sombras.

Gosto quando sou colocada encaixada com o cacete fincado em alguns de meus buracos e assim formando um pêndulo, buscando nos dois corpos o equilíbrio.

Não tenho prazer maior do que sentir o cacete do homem pulsando em minhas entranhas, inundando o meu cuzinho ou derramando entre os meus lábios o seu leite quente.

Não há nada imensurável do que o gozo!

Caminho pelas ruas e noto os olhares de desejo em minha direção...

Dissimulada eu finjo que não percebo, só para contemplar os homens me cobiçando e quando é alguém conhecido que me toca, finjo não gostar e faço-me de desentendida. Mas no fundo massageia o meu ego!

Qual mulher não gosta de passar e ser notada?

Qual mulher que não gosta em saber que provoca desejos nos homens?

Qual mulher que não gosta de ser o combustível para o tesão alheio, mesmo que o fato nunca tenha a possibilidade de ser consumado?

Trago uma fêmea indomável dentro de minha essência...

Tenho meus anseios... Tenho os meus medos, assim com minha sexualidade aflorada em um corpo.

Não quero ser dada a mesmice...

Comer o mesmo prato todos os dias. O que fazia há alguns anos atrás.

Nada melhor do que diferenciar o cardápio e mesclar os sabores.

Mas ainda é tempo de recuperar o tempo perdido, as fodidas não dadas e se algum dia encontrar um parceiro que compartilhe de meus pensamentos será melhor ainda.

Tudo e um pouco mais será completo...

Pois desejo um dono, que dome o meu coração e ao mesmo tempo me faça livre como uma borboleta, pois usufruirá de mim os maiores prazeres carnais.

Muitos podem me classificar como uma puta!

Mas se isto é ser puta eu quero ser!

E não me importo com os moralistas de plantão...

O que desejo é mais diversão!

*******

*Texto escrito ao som de Iron Maidem
Rock N’ Roll é bom...
Eu recomendo!

Um comentário:

eroticamenteincorreto disse...

"Sexo sem limite... Desenfreado... Atordoado.."
Gostei desta frase.
Beijo In_Correto!