sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

A ESPOSA INFIEL E O AMIGO CHANTAGISTA - 9ª PARTE



Naquela noite, ao entrar em casa, Jussara percebera que seu casamento já não mais existia.

Carlos estava ao telefone falando com Alberto.

Ela disse para que não se incomodasse e fazer de conta que não estava ali e se dirigiu ao quarto.

Não pensou duas vezes, e achou o melhor que deveria ser feito, seria ir para a casa da mãe, até que tudo se ajeitasse.

Cinco minutos depois, ao vê-la arrumando a mochila com algumas peças de roupas, Carlos pediu para que pensasse direito. E que não queria saber a quanto tempo ela e Vicente saiam.

Jussara preferiu lhe contar toda a verdade, expondo o que acontecera com o casamento dos dois... Suas traições...

- O meu envolvimento com Vicente se deu a partir do momento em que ele descobriu que eu o atraía. Ele então começou a me chantagear. – disse ela.

- Esse Vicente é muito cara de pau! – comentou Carlos.

- Outra questão para ficar sabendo de toda a verdade sobre você, é o que sabe: Vicente e Alberto são amigos. – disse Jussara.

Carlos pediu para que ela não saísse de casa, pois poderiam encontrar uma maneira para que ficassem bem diante toda a descoberta dos últimos tempos.

Jussara foi flexível ao seu pedido.

Mesmo ela não fazendo questão em saber como começou o relacionamento dos dois, Carlos quis lhe contar:

- Jussara nós vivemos muitos momentos bons juntos. Mesmo namorando você eu me sentia atraído por alguns homens. Pensei que fosse coisa da minha cabeça. Então, deixei pra lá e nos casamos. Mesmo assim, o meu desejo por outros homens estava ali... – disse ele sendo interrompido.

- Mas por que não confiou em mim? – quis saber ela.

- Pensei que me julgaria mal! – respondeu ele. – Foi quando em uma dessas noites que você teria ido dormir com a sua mãe, resolvi sair e fui parar em uma casa de swing. Foi nesta noite que conheci o Alberto. Ele estava sozinho e me convidou para conversar. E neste dia, descobri prazeres que nunca havia sentido. – continuou ele.

- Compreendo! Como você não demonstrava mais interesse sexual, e quando transávamos era somente o básico, fui à procura por outros homens o que não encontrava dentro de casa. Várias vezes, disse que havia ido para casa de minha mãe, mas na verdade ficava com outros. Foi o que aconteceu e o restante já sabe, Vicente me viu entrando no carro de um amante e me chantageou. Obrigando-me a transar com Alberto. Quando conheci a Karen, ela me despertou o desejo pela pessoa do mesmo sexo. Até o momento em que soube que você era bissexual, ou gay, sei lá! – falou Jussara.

- Não vou bancar o moralista muito menos o hipócrita... - disse ele.

- No início, Vicente era rude, sarcástico e frio em seus sentimentos. Mas depois descobri que era uma pessoa, realizando seus fetiches... Suas fantasias sexuais. E me ensinou que podemos ser felizes assim. Não precisamos ter uma vida de acordo com que a sociedade nos impõe. – disse ela.

- Agora você chegou ao ponto em que eu queria! Já conhecemos como vivem outros casais com uma vida sexual aberta. Poderemos conviver assim também! Até de uma maneira mais livre! Pois eu adorei o que você e a Karen fizeram na boate. Reconheço que fui ignorante em não ter conversado com você antes! – explicou Carlos.

- Sei que nenhum de nós está apto a fazer pré-julgamentos um contra o outro. Porém, quando eu o vi aqui nesta sala, com Alberto e as outras meninas, senti-me traída por não ter confiado em mim! – disse Jussara.

- Eu te entendo! Mas poderemos fazer de uma forma diferente a partir de hoje! Você aceita? – disse ele.

- Aceito! Mas com uma condição! – explicou ela.

- Qual? – quis saber ele.

- Que nada mais será feito às escondidas. Mesmo que você saia sozinho com Alberto, ou esteja com outra mulher na minha frente ou não, terei que ser avisada. E vale o mesmo para mim, se desejar ficar com o Vicente ou outro homem, ou então com uma amiga. - respondeu ela.

- Concordo! – disse ele. – E para mostrar que resolvemos tudo e que ficaremos bem, que tal fazermos uma pequena reunião aqui em casa com nossos amigos íntimos? – sugeriu ele.

- É uma boa idéia! – disse ela concordando. – Poderemos fazer no próximo sábado. – continuou ela.



Nada mais seria perfeito naquele momento, e aquela “reconciliação” não poderia ser brindada de outra forma a não ser na cama, no chão, na cozinha, na sala com uma excelente noite de sexo!

Carlos desejou a sua mulher como nunca desejara antes.

Relembrando os toques de Karen em seu corpo, sutil e com delicadeza, proporcionando-lhe um prazer extremo.



Ao invadir o seu corpo, Carlos sentira uma sensação diferente, não era como das outras vezes que a penetrava, por obrigação de seu casamento.

Existia toda uma atmosfera no ar, acabaram-se as mentiras, cessaram as falsidades...

Agora cada um deles estava fazendo uma entrega total de seus corpos, para que o outro pudesse despertar toda a libido sem falso artifício.

Agora sim, era um casal perfeito, diante de seus desejos e anseios...

Naquele momento, estavam os dois ali em perfeita comunhão ansiosos para os próximos encontros que teriam com outros casais.



Colocando-a de lado, Carlos invadiu o seu cuzinho.

Há tempos deseja esse momento, o marido lhe invadindo o rabo.

- Isso Carlos, fode o meu rabo! Ai que delícia! – dizia ela.

- Um cuzinho tão gostoso aqui ao meu lado e eu desperdiçando. Deixando que o vizinho o comesse. – disse Carlos.

- Viu... Foi deixar a esposinha carente... Apareceu outro e enrabou na sua frente! – falou ela.

-Quero ver ele te enrabando outras vezes! – falou Carlos.

- Ai que marido maravilhoso eu encontrei! – falou Jussara rebolando em seu mastro.



Foi somente o recomeço de um novo casamento...

Jussara rebolava feito uma amazona no cacete do marido e ao mesmo tempo se tocava. Carlos nunca lhe permitira fazer tal coisa!

Mesmo com novas perspectivas, ali estavam somente os dois. O que fez gozar derramando sobre ele o suco que jorrava de sua buceta.



Jussara refletia tudo o que se passara, e estava começando a realizar tudo o que desejou depois que conhecera Vicente. Nunca imaginara que seria tão fácil.

Entretanto, a descoberta que fizera de Carlos, nada alterou o que realmente sentia por ele. Pois percebera, que não estava apenas transando e sim fazendo amor. Pois com Vicente, o sexo era diferente.

E depois de Carlos fazê-la gozar algumas vezes, para selar aquele momento, Jussara ajoelhou a sua frente, recebendo o gozo do marido entre seus lábios, não desperdiçando uma gota sequer.



Na manhã seguinte, Jussara já notara a mudança no comportamento de seu marido.

E quando ele chegasse do trabalho, combinaram de planejar a recepção do próximo sábado.

A semana estava apenas começando.

2 comentários:

Amor...SEdução...Prazer disse...

Fabby minha linda, adorei, ameiiii mais um conto teu !!! beijinhussss Anne

Ventas.. disse...

Q delicia... ;)