quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Obsessão anal



Afonso e eu, mesmo que não tenhamos a oportunidade de nos encontrarmos, estamos em sintonia através de telefonemas, mensagens pelo celular e alguns emails.

O tesão desse homem por mim é algo sem mensura.

Porém, parece que a vida dá um nó!

Necessito vê-lo...

Um dos últimos contatos com Afonso se deu pelo telefone.

Era tarde da noite quando o celular tocou e vi no visor que era ele. Como não estava sozinha, corri para o banheiro por ser um local mais reservado.

O tom de voz de Afonso indicava tesão puro. E aquilo foi irradiando por meu corpo.

Não deu outra, precisava gozar ao som de sua voz.

E tocando a buceta...

Gemendo baixinho...

Com ele me dizendo um monte de putarias do tipo:

- Ai que saudade da minha puta safada...

- Está com tesão branca?

- Mexe na buceta mexe! Faz de conta que sou eu!

- Puta gostosa!

- Você me dá tesão!

- Caralho... Que delicia ouvir você gemendo!

Afonso me fez gozar deliciosamente, fazendo o meu corpo lânguido.

Só não foi melhor, por ele está distante, porém, a nossa conexão nos dá este respaldo.

Este homem sabe me atiçar.

Fustigar-me...

Já me conhece tanto que...


Minha branca,

Pode durar o tempo que for...

Esse cuzinho é todo meu!

Adoro socar ele bem gostos...

E escutá-la pedir leitinho no cu!


Meu negão,

Sim...

É todo teu o meu cu.

A força que exerces... O atrito...

A pressão que nele colocas...

Excita-me!

Faz-me desbravar sensações,

Outrora antes nunca conhecidas.

Minha branca,

Não sabe o quanto estou lhe desejando.

A minha piroca quer possuir o seu lindo cu.

Adoro socar ele e, mais ainda quando pedes leite quente no cu!


Meu negão,

Sei que me desejas.

Faço de tudo para que o teu tesão

Em mim seja igual ao fogo de caieira... Jamais cesse...

Impetrando... Inflamando a lascívia em mim.

Vertendo todo o seu leite em meu cu.

Fazendo a enxurrada escorrer por meu orifício inundado.


Minha branca,

Você não faz idéia o quanto estou com saudade.

E quando penso no teu presente (posição de quatro), nossa quero muito ele (o meu cuzinho).

Só em pensar em tocá-lo bem forte, dá-me até muito tesão...

Quero ouvi-la pedindo leite dentro dele.


Meu negão,

Sei que não é sempre que o desejo tem a oportunidade de ser saciado.

Mas quando me ofereci de presente... De quatro para você, foi a maior realização de todas as fantasias.

Pertenço a tua sodomia...

A tua supremacia...

Tu és o homem que me faz submissa.

- Vem! Fode o meu cu com o cacete teso.

Goza! Derrama leite em meu cu, porra!


Minha branca,

Quando estiver com você no motel, quero chupar bem gostoso o teu cu.

E depois quero ele para mim.

Quero que fique igual naquele dia de quatro na cama, oferecendo o teu cu para mim, para enchê-lo de leite quente.

Adoro latejar a minha piroca no teu rabo.

Eu vou encher o teu cu de porra!

Você gostou?

Amei! Meu negão!

E vou gostar mais ainda, quando sentir a tua língua e teu cacete fincados no meu rabo...

Os vinte e dois centímetros de pura delicia...

Meu macho safado...

O meu negro tesudo...

Torture a tua fêmea branca.

Sodomize a tua puta...

Contigo sou mais mulher...

A mais devassa de todas!

Preencha os meus buracos,

Puxe os meus cabelos...

Amo quando me xingas...

Eu sou tua...

Tão tua...

Quanto és meu!

Minha branca gostosa,

Estou cheio de tesão, com uma vontade de encher o teu cuzinho de leite... Nossa!

Adoro latejar a minha piroca...

Em teu cu!

Amo mais ainda quando arremete a tua deliciosa pica em meu buraco guloso...

Envolvendo-me em teus movimentos frenéticos.

Venha... Puxe os meus cabelos e desfira tapas em minhas nádegas com o cacete fincado no rabo...

- Fode o meu cu, caralho!


Minha delícia...

Que saudade, quero logo poder me deliciar ao sabor de teu cu, adoro chupá-lo. E mais...

Adoro ver a piroca sumindo no teu rabinho. Estou louco para socar ele e, enchê-lo de porra.

Meu tesudo, Também ensandecida... Ansiosa para ter o prazer de senti-lo em meus orifícios e, principalmente em meu cu. Puta que pariu! Meu macho gostoso...

- Enche o meu cu com o teu leite quente e revigorante!


Essa tua obsessão,
É o elemento para o meu tesão.
O cacete fincado com arrimo,
Sigo em réu ritmo.


O teu sexo é poesia,
Em notas dissonantes.
Nos gemidos constantes,
A completa fantasia.

Então deixe de lado,
Esta história de pecado.
Transmuta-se em meu labor,
A lascívia com completo ardor.

É uma festa o nosso encontro,
No prazer... Em frêmito no anal.
É mais do que primordial,
Sem algum desencontro.


Vem me fuder...

Um comentário:

In_Correto disse...

Fiquei sem fala,... Adoro sexo anal. Sei o valor de uma trepada bem caprichada, com requinte e sem pressa.
Continuo sem fala,... rs


Beijo do (In)