segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

DA COR DE ÉBANO



Tenho várias personagens dentro de mim...

Mas com você a minha frente é diferente.

O teu olhar consegue penetrar fundo em minha alma, como se scaneasse cada pensamento pervertido meu.

E precisa fazer algo que odeio: conter-me!

Conter-me para não ser percebida por outras pessoas, mas algo me diz que ficou evidente, em meu olhar, em meus trejeitos, nas palavras soltas das transas que tivemos e em meu sexo molhado!

E sei qual a razão porque isso ocorre...

Porque somos iguais... Porque buscamos o mesmo jogo... A mesma situação com o propósito intuito de gozarmos!

A mesma lascívia percorre em nossas veias.

Sem medo de nos entregar a devassidão de nossos corpos, de matar a fome de êxtase. Pois sabemos que sexo é algo saudável, fazendo com responsabilidade.

Sem camisa, o teu corpo quase nu, revelando seus músculos e eu ali querendo possuir uma visão de raio-x, para penetrar em teu sexo escondido, mesmo com o olhar.



Desejando tocar o teu membro em riste que me deu tanto prazer, invadindo profundo o meu corpo.

Com tantas pessoas a nossa volta... Precisava disfarçar o meu olhar de tesão, o meu olhar de criança quando quer ganhar um doce!

E também percebia o teu jeito, despindo-me... Como se estivesse nua.

Não sei qual é a fórmula que tens para penetrar em meu corpo e perturbar meus desejos.

Ah se ao menos pudesse encostar o meu corpo no teu, e intensificar mais o nosso contraste de pele.

As cenas que protagonizamos, enquanto nos falávamos, passavam-se como flash-back em minha cabeça...

A sua língua passeando em meu território... Penetrando em minha buceta... Eu te chupando, fazendo carinhos em teu cacete... Invadindo o meu cuzinho, arregaçando as pregas...


Relutava para não obedecer à vontade de meu corpo, buscar conter o tesão que a tua visão desperta.

Homem negro da cor de ébano, que enlouquecem as mulheres em suas fantasias.

E que eu sei que sabe fuder como ninguém, apesar de sua idade tem uma vasta experiência em dar prazer à mulher que estiver ao teu lado.

Quando me contou por alto, de suas aventuras sexuais, você sabe que não tenho ciúmes e sim desperta o meu desejo de participar contigo.

De ver nossos corpos: minha pele clara e tua pele negra se misturando com outros corpos, desenhando uma pintura sobre a cama de um motel qualquer.

O que é bom não deve ser guardado e sim compartilhado!

Esse nosso encontro de poucos minutos se deu de maneira casual, mas tempo suficiente para saber que a química que existiu um dia, continua lá intacta, esperando apenas a oportunidade de sua explosão.

E nós dois sabemos que sim!

Um comentário:

eroticamenteincorreto disse...

E que química,... Está ótimo,...