sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

RESPONDENDO AO COMENTÁRIO DO CAAL*




Comentário recebido no site Recanto das Letras

21/01/2011 14h39min - CAAL *
Será que você realmente existe? Não é um sonho, uma miragem? Porque será que as outras não podem, ou não querem ser iguais ou parecidas com você? Sei que não podemos e não devemos confundir imaginário com o real, mas você deve ser um tesão, com todo o respeito. Continue a povoar o nosso imaginário!!!

Felicidades para você.

Para o texto: Invadindo-me todinha (sexo anal) (T2544450)




Sim!
Realmente eu existo e estou aqui a dedilhar sobre o teclado do computador.

Não!

Não sou um sonho... Mas posso ser docinho igual aquele lá da padaria.

Também não sou uma miragem, pois sou feita de carne e osso e posso ser tocada.

Sinto dor, prazer na penetração e arrepios em minha pele.

Aí dependendo de quem está fazendo o ato, posso ficar trêmula igual à vara verde ao vento.

Mas tudo é uma delícia!

Cada mulher trás dentro de si a sua essência e só basta a ela se descobrir!

Libertar-se de velhos preconceitos morais!
Gosto de ser puta e vadia na cama!

Os homens adoram isso!

Descobri a minha essência felina, pervertida e um tanto despudorada, procurando saber em qual momento a ser usada.

Sou livre... Sou forte...

Não tenho medo do prazer!

Fui criada aprendendo que o sexo era algo errado, pecaminoso e sujo.

Com o tempo fui aprendendo a vê-lo com outro olhar... Sobre outro prisma.

E que para se ter prazer e sentir o seu ápice, aprendi também a fazê-lo sem medo de ser tachada ou rotulada de alguma coisa.

O sexo faz bem à saúde!

E nas mulheres melhoram a pele, o cabelo, ameniza o stress e a TPM (no meu caso sim)!

E para sentir a sua entrega total vale tudo, desde o momento em que haja consentimento de ambas das duas ou mais partes e que não seja nada criminoso.

Sou assim... E não me recrimino por ser tão assim!

Sem rédeas na hora do tesão...

Liberando todos os meus orifícios.

E quem me deseja ver explodindo sobre uma cama...

Que me faça livre...

Que me deixe à vontade...

Não queira me dominar...

A borboleta não fica presa ao aquário...

Faça-me livre para depois retornar com o clímax maior de toda uma transa!

Deixa-me contida somente sobre outros assuntos chatos e corriqueiros do cotidiano.

Na verdade não sei se existo, ou se sou uma obra inacabada...

Enquanto, não me defino ou não me molduro...

Sigo levando a vida ao sabor de muito gozo, de muita invasão e claro, com muitas responsabilidades também.

Pois a vida não é somente sexo!

Devemos seguir outros caminhos.

Tudo demais vira uma doença.

E o equilíbrio é essencial em tudo!

Sendo assim, continuarei até quando me permitirem a povoar o seu imaginário, e creio que o de muitos também!

E quanto a ser um tesão... Até o presente momento ninguém nunca reclamou não!

Felicidades também a você e a quem mais tiver a paciência de ler este texto.

Beijos quentes e lascivos

Fabby Lima

4 comentários:

eroticamenteincorreto disse...

Belo texto descritivo. Bom saber que existem mulheres de mente aberta ao prazer na sua mais ampla plenitude.

Piment29 disse...

Muito bom seu texto de explicação ... Também concordo com vc que temos que ser o que quisermos na cama, nada de ficar reprimida. A sociedade já nos reprime tanto que nessas horas devemos mesmo ser quem quisermos, puta ou não ... Adoro seus textos ... Um forte abraço e um xerim ... =D

DIVÃ DE CONFISSÕES disse...

Gostei muito do seu texto, também estou me descobrindo assim agora, sem pudor, sem restrições do que pode não pode, o que vale é amar muito.
Parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

fui agradecer sua visita à minha página no recanto das letras e não a encontrei, graças ao tiu google hoje poço lhe entregar meu acróstico.olha parabéns pelo seu blogger. vou virar frequentador assíduo mas tem que colocar em seu perfil a foto de sua boca.beijos.

Autor Ayrthon Caetano

Fiquei sem ação ao ver aquela boca/
Algo diferente aconteceu comigo/
Bobagem não era, pois era tão quente/
Bonito sensual/
Y"Imagine o que digo"/

Lábios carnudos com contornos belos/
Igual uma rosa vermelha em botão/
Moldados com arte e um ar tão singelo/
Arrancou suspiros de meu coração/