sábado, 29 de janeiro de 2011

A ESPOSA INFIEL E O AMIGO CHANTAGISTA - 8ª PARTE



Quando chegaram a cada de Vicente de mais de uma noite de orgia, Jussara não se deixou incomodar pelo olhar alheio de algum vizinho bisbilhoteiro.

Ela pediu licença e foi para o banho e de lá gritou para que o vizinho lhe emprestasse uma camisa para vestir.

Vicente não queria incomodá-la, achou por bem deixar a camisa pendurada e sair do reservado.

- Ficou melhor em você! – disse Vicente, quando entrou novamente no banheiro e a viu vestindo um de suas camisas e de cabelos soltos.

- Fico melhor assim! – Disse Jussara sorrindo e deixando a camisa cair.



Precisava pensar no que faria de sua vida, mas já que tinha mais algumas horas com Vicente, não quis deixar passar em branco.

Vicente cogitou a idéia de um banho, mas ela o queria com o cheiro de Karen e de Carlos, mesmo os dois não se tocando, havia uma essência do marido no corpo dele.

Vicente não pensou em alguma objeção, já que Jussara sabia muito bem o que estava fazendo.

- Você gostou de comer o meu rabinho junto com o Carlos? – perguntou ela.

- Adorei sua puta! - disse ele – Nunca imaginei comer uma mulher com o consentimento do marido sem ele saber. – continuou.

- Cachorro, sabia que havia gostado! – disse ela – Vai então fode o meu rabinho novamente!



Jussara rebolava mais ritmada, sobre o membro em riste de Vicente e, recebia as suas estocadas com mais força!

Parecia que o sexo, a força que ele lhe trazia, ajudasse a reorganizar os seus pensamentos.

Enquanto era socada pelo membro de Vicente, um filme se passava em sua cabeça: o seu namoro, o seu casamento, suas traições, quando conheceu o novo vizinho, a chantagem e a descoberta do marido bissexual.

Jussara não o repudiava, mas por que não confiara nela?



Ela sentiu a sensação do corpo estremecer e naquele momento seus pensamentos foram apagados, como se deletasse velhos arquivos de um computador.

O gozo invadira o seu corpo, fazendo com que sentada na bancada, caísse sobre os braços de Vicente que a recebeu naquele momento de conflito.



Ele invadira o seu rabinho agora de frente, enquanto ela ainda entorpecida pelo gozo se tocava simultaneamente.

Vicente a colocou no chão, assim ela o chupou, deslizando seus lábios entre o seu cacete, sua língua deslizava sobre toda a sua extensão e escorregava até as bolas, deixando-o cada vez mais excitado!



Deitando ao chão, Jussara cavalgava fincada com ele em seu cuzinho, isso a fazia ir à loucura, estava traindo... Fazendo o seu marido de corno, a poucos metros de sua casa. E não se importava, pois sabia que naquele momento ele poderia estar com Alberto.

- Seu casamento virara um típico enredo de um filmo pornô de quinta categoria. – pensava ela.



Vicente projetava o seu corpo para cima, isso fazia com que o seu pau invadisse mais o seu rabinho. Jussara estava amando tudo o que estava acontecendo, a reviravolta que tinha dado na chantagem de Vicente e em seu casamento.

Por um momento, ou por alguns minto decidira não pensar mais sobre o assunto, decidira aproveitar o corpo de Vicente. Depois que saísse dali, não sabia o que poderia acontecer.

Entregando-se totalmente de corpo e alma, gozou com Vicente de uma maneira que ainda não havia ocorrido.



O gozo transmutava uma idéia de fixação que não teria e não tinha mais nenhum laço afetivo com Carlos, a não ser de amizade.

Colocando-se de joelhos, recebeu o gozo viscoso de Vicente em seus lábios, molhando todo o seu rosto.


Os dois tomaram banho juntos.

Vicente não perguntara sobre o que ela iria fazer, já que agora ela tinha a certeza de que Carlos realmente estava tendo um caso com Alberto.

Essa era somente uma decisão que ela teria que decidir sozinha, e que ele apenas a apoiaria no que fosse necessário.

Vicente deixou essa questão explicada para ela.

- Eu sei disso! No início não confiava em você. Mas depois de todos esses acontecimentos, aprendi a confiar. – disse ela.

- Espere-me aqui. Vou à padaria. – disse ele.

- Tudo bem! – respondeu ela.

Depois de tomarem o café da manhã juntos, Jussara resolveu voltar para casa.

Fora com a mesma roupa, que havia ido à boate. E mais uma vez, não se importou com que Carlos achasse.

Ao chegar a casa, o marido já se encontrava, como se não tivesse saído de casa.

Foi aí, que ele descobriu pela roupa, que a mulher da noite anterior com Vicente era ela.

Seria muita coincidência, seu vizinho e outra mulher com o mesmo vestido.

Ele nada indagou, apenas deu-lhe bom dia e foi para o quarto.

Jussara seguiu-o e lhe disse:

- Eu sei de tudo! – disse ela.

- Tudo o quê? – quis saber Carlos.

- Essa sua falta de atitude... Sua concessão sem cabimento... Tudo para encobrir os seus atos! – respondeu ela.

- Você está ficando louca! – disse ele.

- Não quero falar nada mais sobre o assunto. Mas quero que reflita e depois me diga, se te diz alguma coisa o nome Alberto! – explicou ela, indo para a cozinha.

Carlos não teve motivo para reagir. E passou o dia trancado no quarto.

E depois de fazer o que era necessário, retornou para a casa de Vicente.

Outras explicações para Carlos não seriam necessárias!

Um comentário:

Ventas.. disse...

só??... e a seguir?... q acontece? ;) estou super excitado.. :)